A Responsabilidade de uma Conselheira em Aleitamento Materno / Assessora de Lactação

Quando uma mãe nos contacta para solucionar dificuldades na amamentação ou apenas esclarecer dúvidas, estamos muito conscientes que aquilo que dizemos e fazemos pode ter um grande impacto na saúde da mãe, do bebé e na vida da família toda. Sim, a saúde e a família toda!

Acreditamos que a informação é uma chave essencial para desmistificar e ultrapassar crenças limitadoras. Por isso, criámos o Grupo da Rede, Dá.me Maminha, onde disponibilizamos informação fidedigna e conteúdo de excelência totalmente gratuito. Diariamente, todas as profissionais da Rede Amamenta passam horas a prestar esclarecimentos no grupo e a moderá-lo para que seja um lugar de partilha seguro e respeitoso para com todas as vivências.

Apesar deste grupo existir, recebemos, todos os dias, dezenas de pedidos individuais de dicas. Sempre que possível respondemos, mas, muitas vezes, não o podemos fazer e encaminhamos para consulta – porque ser Conselheira em Aleitamento Materno / Assessora de Lactação implica uma grande responsabilidade e disponibilidade que achamos importante esclarecer (e que se estende a qualquer outra especialidade da Rede).

O que faz uma Conselheira em Aleitamento Materno / Assessora de Lactação (CAM/AL)?

Uma CAM ou AL, no geral, dá:

  • Apoio em dificuldades na amamentação.
  • Apoio emocional à mãe, pai e, por vezes, até outros membros da família.
  • Apoio com tarefas domésticas que sejam necessárias.

O que esperar de uma CAM/AL da Rede Amamenta?

Como referimos, estamos muito conscientes do impacto que podemos ter na saúde da mãe, do bebé e na vida da família toda.

Por isso, além do mencionado acima, uma CAM/AL da Rede Amamenta, cumprindo com a nossa Missão e Código de Ética e Conduta, faz o seguinte:

  • Atualiza-se constantemente.
  • Escuta e observa sem julgamentos.
  • Reserva 2 a 3 horas para cada consulta de amamentação (seja ao domícilio ou online).
  • Ouve com muita atenção as preocupações da mãe/pai sobre o seu bebé.
  • Ouve e sente o que o bebé tem a dizer – o sentir vem, sobretudo, da experiência e intuição.
  • Procura perceber muito bem a história da gravidez, parto e toda a história de amamentação até ao ponto atual.
  • Procura perceber quais os objetivos/desejos em relação à amamentação e quais as condições e recursos de que dispõe para os alcançar.
  • Procura as causas para as preocupações e possíveis dificuldades que existam ou possam vir a existir.
  • Faz sugestões com base na sua experiência, treino e conhecimento.
  • Encaminha para outros terapeutas/especialistas, se necessário, para diagnóstico e/ou tratamento de algum problema.
  • Esclarece todas as dúvidas que possam existir e fundamenta as suas respostas em evidência científica.
  • Faz um plano adequado à família, consoante as suas necessidades e objetivos, em conjunto com a mãe/pai, para que consigam alcançar os seus objetivos em relação à amamentação.
  • Mantém-se disponível e em contacto para acompanhar e apoiar até que a família tenha Confiança, Informação e Apoio suficientes para prosseguir de forma autossuficiente.
Todo este apoio tem um valor para as famílias e para nós, profissionais.

É um trabalho importante e de muita responsabilidade, não te parece?

Porque não é gratuito o apoio na Rede Amamenta?

Na Rede Amamenta optamos por cobrar pelo nosso trabalho porque tudo o que foi descrito exige muito tempo, recursos e energia da nossa parte.

Sentimos que cobramos um valor justo por tudo o que disponibilizamos e temos motivos para o fazer, dos quais realçamos:

  • Quando a mãe/família paga, sente-se mais à vontade para exigir qualidade no serviço prestado. Espera e exige uma profissional treinada, com termos contratuais bem definidos e transparentes.
  • A família pode contar com uma profissional com formação adequada, apoiada na retaguarda por uma equipa multidisciplinar composta por todas as profissionais da Rede com a sua extensa formação e experiência (Life Coaching, Doula, Terapia de Sono, Enfermagem Pediátrica e Obstétrica, Babywearing, Psicologia Clínica e Educacional, Terapia da Fala, Farmacêutica, Perda Gestacional, Neurociência, Massagem Infantil, Toque Terapêutico, Fisioterapia na Saúde da Mulher e Pediátrica, Pilates clínico, Educação Pré-Natal, Mindfulness).
  • Para fazermos um bom trabalho, com qualidade e empenho, tivemos que fazer formação adequada (muitas vezes, muito dispendiosa) e necessitamos de nos atualizar constantemente (com formação, leitura, pesquisa, troca de ideias com equipas multidisciplinares dentro e fora da Rede Amamenta).
  • O tempo que passamos com mães, bebés, famílias é tempo que não estamos com a nossa família ou a descansar, ou a trabalhar noutra coisa ou a fazermos o que quisermos. É importante que haja um equilíbrio entre este nosso dar e o vosso receber.
  • Não recebemos qualquer comparticipação ou financiamento de qualquer entidade pública e privada – como acontece com outros profissionais e voluntários.
  • Para estarmos totalmente disponíveis para fazer este trabalho temos que estar tranquilas com as nossas obrigações terrenas (comida, casa, impostos, etc.). É um trabalho que exige uma grande dose de coração e de serenidade para podermos apoiar as famílias da melhor forma.
  • Todos somos merecedores de viver uma vida digna. As CAM e AL, tal como médicos, advogados, enfermeiros, comerciantes, também. Por isso, valorizamos o nosso trabalho de acordo com a nossa consciência.

Acreditamos que todas as mulheres que o desejem têm direito a ter apoio especializado na amamentação.

Isto quer dizer que se alguma mãe/família tiver dificuldade em relação ao pagamento, pode contactar-nos para, em conjunto, encontrarmos a melhor solução para todos.

Tudo isto também se aplica às outras especialidades que temos na Rede Amamenta.

Então, como posso obter dicas?

Se sentes dificuldades em amamentar, se há questões com o ganho de peso do bebé, se a produção de leite está comprometida, se dás suplemento ou se te sentes insegura, ansiosa e em dúvida sobre a tua capacidade de amamentar e/ou do bebé mamar e de manter a amamentação, por certo que não serão dicas que te vão ajudar. Vais precisar de um apoio mais personalizado e, para isso, precisamos de conhecer a tua história a fundo e de testar e delinear estratégias que funcionem para a TUA família. Não é seguro, nem responsável, da parte de qualquer profissional, aconselhar por telefone ou Facebook sem te conhecerem bem em situações que podem comprometer a tua saúde e a do teu bebé. Para teres apoio especializado, contacta a Amamenta mais perto de ti (podes encontrar-nos aqui).

Para teres o nosso apoio com esclarecimentos breves e generalistas, o canal privilegiado é o Grupo Dá.me Maminha – um lugar seguro e de partilha com informação fidedigna e conteúdo de excelência totalmente gratuito.

Se encaminharmos a questão para consulta ou workshop é por estarmos:

  • A honrar a nossa profissão.
  • A cumprir o nosso código de ética e conduta que protege mães e bebés.
  • A valorizar e zelar pela saúde e a vida da mãe, do bebé e da família.
  • A respeitar o direito da família usufruir de um apoio personalizado e adequado ao seu caso.

 

Cláudia Rodrigues – Assessora de Lactação, Life Coach, Cientista Social especializada em Psicologia

Filipa dos Santos –  Assessora de Lactação, Conselheira em Aleitamento Materno, Doula, Fundadora da Rede Amamenta, Cientista Política

 

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *