As dificuldades de ser mãe migrante

Adorei dar esta entrevista à talentosa Liliana Tinoco Baeckert da Swiss Info. Ela própria mulher migrante traduziu na perfeição a mensagem.

“Experimente juntar mudanças hormonais com inseguranças, saudades, dor, cansaço, solidão, incompreensão, diferenças culturais, língua estrangeira… Esses são alguns dos ingredientes que compõe o coquetel bebido pela maioria das estrangeiras que se tornam mães ou que engravidam longe de seu país de origem.

Muitas vezes, dores que podem tirar o brilho da maternidade tão esperada. Para a assessora de Lactação e coach Claudia Rodrigues, portuguesa que vive na Suíça desde 2014, a solução passa por uma maior humanização dos serviços ligados a essa fase e, principalmente, pela recriação das tribos, onde no passado os integrantes se auto ajudavam.

Formada em Ciências Sociais, com foco em psicologia, Claudia diz que: “As mulheres das sociedades ocidentais estão extremamente sozinhas, a ponto de perderem a sabedoria feminina que era passada de mãe para filha”.

Em entrevista à Swissinfo.ch, a profissional explica em detalhes o que pode ser feito para suavizar esse momento tão especial de toda mulher. ”

Podes ler a entrevista completa neste link.

Share Button

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *